Tecnologia do Blogger.

Nosso Twitter!

Comentários Recentes

Parceiros



Seguidores

Total de visualizações

domingo, 11 de julho de 2021

MLN Recomenda: Disco Elysium

  
    A sua primeira impressão do mundo são as vozes de seu cérebro. Não as vozes em seu cérebro, mas as próprias personificações da evolução humana, zombando de atitudes que, veja só... Você não se lembra. Como se o destino tivesse solapado toda a sua compreensão de mundo, você emerge nesse universo caótico e desesperador como um sujeito sem lembranças, cuja única motivação é descobrir tudo o que conseguir sobre as leis que o regem. Uma amnésia que se desvelará junto de um mistério mais institucional: quem é aquele homem enforcado e o que você tem a ver com isso?

    Esse é apenas o início de uma história permeada por conflitos morais e relações humanas, situada em um continente tomado pela guerra e pelo desejo. Esse é o início de um dos melhores RPGs dos últimos tempos. Pegue sua bebida e coloque sua melhor música  porque Disco Elysium é nossa recomendação desse mês.



Revele um mistério, descubra a si mesmo


    O início de Disco Elysium é similar à criação básica de um personagem de RPG de mesa. Você escolhe as características principais ao distribuir uma pontuação às características que mais definem seu estilo de jogo. De força à agilidade, de pensamento à emoção. Você pode ser um brutamontes que não sabe se comunicar muito bem, um detetive ágil que pensa rápido mas é fraco como uma vareta ou, como eu escolhi, ser o inteligente e empata sem capacidade física alguma. Ou, ainda, você pode ser mediano em tudo. Você determina de que modo você interagirá com o mundo logo nesses primeiros segundos dentro do universo. Por exemplo, você pode colocar alguns pontos em Calafrios: um tipo de percepção extrassensorial que te dá arrepios ao passar por um lugar, como se a cidade falasse com você. E quando ela falar, você estará pronto para escutar.

    Cada traço de personalidade é único e representa uma pequena parcela do seu cérebro. Elas falarão com você em momentos oportunos, podendo te lembrar de fatos sobre o mundo ou te ajudar a reconstituir uma cena de crime. Tudo isso por meio de um sistema de dados similar ao RPG de mesa tradicional. Além disso, certos testes são únicos e nunca mais podem ser refeitos, enquanto outros são desbloqueados ao melhorar o traço de personalidade correspondente. Tentou abrir uma porta no soco e não conseguiu? Tente passar de nível e aumentar seus pontos em Força. Boa sorte nos dados.

    Nesse primeiro instante, ao criar o personagem, você já é tomado pelo sentimento de que está ajudando a modelar algo do zero. Entretanto, quando chega nos primeiros minutos de jogabilidade, percebe que você está (re)modelando algo: você mesmo. Você definiu a base de quem era, mas agora vem a pergunta que conduz toda a trama de Disco Elysium: quem você escolherá ser?

    Para desvendar esse mistério sobre si mesmo, você terá uma ajudinha especial: outro mistério! Um assassinato que aconteceu bem ao lado de onde você acabou de acordar. É através das perguntas sobre o corpo pendurado na árvore que você começará a questionar a si mesmo sobre suas crenças, sua posição ideológica, suas emoções e sua própria história. Ao interagir nessa trama de conexões e conflitos políticos muito maiores do que nós mesmos, Disco Elysium proporciona o sentimento de que somos pequenos demais perante à grandeza áspera do universo.

    Somos pequenos, mas não invisíveis. Um diálogo torto pode custar caro, do mesmo jeito que a empatia pode abrir portas. Entretanto, empatia demais pode condenar sua mente à perder o senso de quem você é de verdade. Ainda que o mundo seja gigantesco e figuras quase divinas emerjam em sua história tumultuada, o que importa é o que fazemos com o que sabemos (e com o que não sabemos). Mais do que ser inspirador e motivar a mudança no mundo, Disco Elysium é áspero, cruel e, por vezes, bastante triste. É na realidade em que cravamos nossos pés. Na lama de um continente em guerra,  desbravamos os segredos mais profundos sobre a sociedade e sobre nós mesmos. 

    E é na narrativa onde Disco Elysium se consolida como uma experiência inesquecível.



A arte de um universo a ser desbravado

    Contar uma boa história não depende apenas dos elementos que você planeja, mas também do modo como os apresenta. Não importa se você quer tratar de morte se o modo como faz isso é raso e sem impacto algum. Ao se utilizar do mistério para conduzir uma trama envolta de perguntas, a equipe da ZA/UM insere as informações necessárias em momentos-chave da história. Sabe aquele NPC que pareceu inútil? Pois é, aguente as pontas mais um pouco.

    Nada é por acaso e nada passa batido. Além de se utilizar de livros in-game para contar o passado de Revachol, os diálogos de Disco Elysium são riquíssimos e únicos. Ninguém fala do mesmo modo e ninguém fala da mesma coisa, do mesmo jeito. Cada ponto de vista é incorporado à personalidade do personagem e se expressa em linhas de diálogo difíceis de não se impressionar.

    Assim como seus gráficos, sua narrativa parece uma pintura rústica e, ainda assim, meticulosa. Cada elemento de interação surge com um propósito e até mesmo as subtramas se conectam à você ou à trama principal de algum jeito. Ou apenas servem para recompensar o jogador que quis desbravar sua realidade, oferecendo informações triviais e divertidas.  

    Apesar de ser um jogo em que as escolhas são parte fundamental, a peteca da história não cai. Independente do que escolha, uma reação correspondente surge. Pode não ser a que você queria, mas quem disse que o mundo é benevolente desse jeito? Ou pode ser a que você não imaginava e, agora, uma parcela dessa pintura se revelou para você. 

    Disco Elysium não é um jogo para todo mundo. É denso, tanto temática quanto narrativamente. No sistema do Gabinete de Reflexão, você se aprofunda mais sobre alguma pergunta, mas com quantidades limitadas de questionamento  e de recompensas por descobrir suas respostas, que nem sempre deixam seu personagem melhor. O quanto saber disso influenciará o modo como você enxerga o mundo? E será que isso vale realmente a pena?
 
Escolha quem você será e descubra um mistério fruto de sua época. Você pode jogar Disco Elysium no PC, Playstation 4, Xbox One e Nintendo Switch. 

Te espero na discoteca.


0 comentários:

Postar um comentário

Nosso Facebook!

Postagens Populares