Tecnologia do Blogger.

Receba nossas novels por e-mail!

Nosso Twitter!

Comentários Recentes

Parceiros



Seguidores

Total de visualizações

domingo, 5 de março de 2017

Descrições: Alguns tipos e subtipos


E aí, como vão esses olhos carmesins? Tudo tranquilo na pacata cidade? Esse é mais um post sobre descrições - sabe, aquelas coisas recheadas de palavras que constituem uma sentença clara e direta sobre algo, talvez filosofando, talvez não, talvez sim, talvez não.
Hoje vamos falar sobre alguns dos os tipos de descrições e como elas podem te ajudar a me ajudar a te ajudar, afinal, a lógica pós-moderna existencialista não é pra qualquer humano, ainda mais para dois irmãos que buscam restaurar seus corpos através da Alquimia.
Pronto para conhecer mais sobre o fascinante universo das descrições? Então, bora lá.

Todas essas informações foram tiradas do meu cérebro. Não há comprovação científica - ainda.
E qual o problema com essas descrições?!



1. DESCRIÇÕES DE LOCAIS
hello

a) Zoom:  não, não tem nada a ver com Flash. Descrições do tipo Zoom são aquelas em que o autor começa a descrição pela parte exterior e vai, aos poucos, ao interior do local. Ela é normalmente usada para fazer introduções de ambientes externos em que determinado personagem se encontra.

Qual a vantagem? 
Elas são muito úteis caso você não saiba como dizer "Ei, meu personagem tá em cima de um navio pirata voador", afinal, conseguirá descrever tudo em volta - servindo para situar o leitor - e finalmente chegar no seu tão amado personagem, como nas primeiras cenas.

Quer um exemplo?
A lua banhava de graça o pequeno vilarejo. As casas aparentavam brilhar junto com ela, assim como seus moradores. E entre eles, um pequeno rapaz chamava a atenção.


b) Abertura: Diferente da irmã mais velha, essa aqui é mais apropriada para cenas finais. Assim como no cinema, a abertura dá uma noção dramática ao ambiente, pois agora o centro dele é justamente seu personagem. É como se tudo acontecesse ao redor dele. 


Qual a vantagem?
Você pode utilizá-las em descrições de ambientes internos, como casas ou tavernas. Além disso, como eu já citei, concedem um apelo dramático à cena em questão.

Quer um exemplo?
"O pequeno rapaz, longe de todos, contemplava paciente aquele momento. Ao seu redor, burburinhos dos aldeões. Mas, não, ele não ligava para aquilo, muito menos para o vilarejo em que se encontrava. Só queria saber mesmo era da lua lá no céu."

História Boa: 1kg de Descrições, 2,5kg de Diálogo...


c) Referencial Não-Principal: O nome difícil é só pra fazer charme. Na verdade, é bem simples: se nas outras duas anteriores o foco, de um jeito ou de outro, recaía sobre o personagem principal, agora ela pode mudar - até mesmo para objetos.

Qual a vantagem?
Quase ninguém usa um vaso de cerâmica como referência para uma descrição - você vai se destacar no meio da multidão! Além disso, se quiser dar aquela escapadinha do olhar do seu protagonista, poderá assumir um novo ponto de vista.

Quer um exemplo?
"Lá de cima, observava a todos da mesma maneira. Todos parciais; ninguém completo. Pequenas formigas andando para lá e para cá, observando-a mudar de cor. Apenas ela sabia do que se tratava aquele fenômeno. Apenas ela sabia que mais alguém sabia; ela conhecia o coração daquele rapaz."



2. DESCRIÇÕES PSICOLÓGICAS
is it me

a) Internas: Trata-se de descrições que realmente descrevem, normalmente através de adjetivos, a situação emocional do personagem. Ela é bem comum e também é mais fácil de ser utilizada.

Qual a vantagem?
Ela se encaixa melhor em descrições que não são focadas no gênero da narrativa (como descrições de drama em novels de ação), pois não se aprofunda tanto, também não tirando o foco principal da história em questão. 

Quer um exemplo?
"Pensava em si mesmo como um animal morto no meio do Sertão. Triste, solitário, fedido. A única coisa que passava pela sua cabeça era deixar de ser o que era: um pedaço de vazio."


b) Espelhadas: Em contrapartida, as espelhadas seguem a regra do "Não descreva, mostre". Isso se dá porque sua função é justamente colocar o leitor na pele do personagem, fazer com que nós observemos o mundo através de olhos que não são os nossos.

Qual a vantagem?
Essa é uma descrição muito boa para começos de narrativa, pois servem facilmente para dar o tom da obra. Porém, por mais que também possa parecer uma descrição de local, na verdade, o grande trunfo não está realmente no lugar, mas sim em como ele é visto pelo personagem.

Quer um exemplo?
"A manhã de Natal amanheceu estranha; nada parecia estar no lugar. As crianças brincando na sala, com olhares esperançosos, eram estranhos. Os livros, amontoados no canto do quarto, deixaram de lhe chamar a atenção, talvez devido ao pó. As comidas, já postas na mesa, não lhe atraíam de maneira alguma, pareciam feitas de plástico: sem cheiro, sem cor, sem vida."

Quem não se encantou com o Hughes? Como descreveria o nosso General de Brigada?


3. DESCRIÇÕES DE AÇÃO
you're looking

a) Curtas e Rápidas: Como o próprio nome já diz, esse tipo de descrição pode ser utilizada para se referir a movimentos curtos e rápidos, como pegar um copo ou levantar-se da cadeira. Tem que ser rápidas e objetivas, para dar a noção de rapidez e brevidade. Em alguns momentos, pode até utilizar somente os verbos, caso ache necessário.

Qual a vantagem?
Poupe suas skills aqui, elas podem ser usadas mais pra frente. Ou seja, não encha linguiça em momentos que não precisa.

Quer um exemplo?
"Fulano abriu os olhos e contemplou o teto, divagando sobre sua existência pífia. Entretanto, após o despertador tocar, caiu em si. Levantou. Espreguiçou. Saiu do quarto. Entrou na cozinha. E lá, tomou seu café da manhã: um pingado com pão de queijo."

"Seus movimentos, ágeis. Seus golpes, certeiros. Não havia tempo para pensar, respirar, proclamar sua vitória. Os punhos de Fulano não o deixariam em paz enquanto ainda pudessem se mover."

b) Longas e demoradas: Aqui, em contraste, temos movimentos que necessitam de mais atenção. Assim sendo, é posto que algumas vezes você veja, na sua mente perturbada de autor, esse movimento em câmera lenta.

Qual a vantagem?
Pode gastar alguns de seus cooldowns aqui, talvez eles sejam necessários para mostrar ao leitor o quanto aquela ação é importante.

Quer um exemplo?
"Um singelo sorriso, pouco a pouco, tomou forma em seu rosto. Seus olhos carmesins trataram de brilhar mais intensamente, assim como o resto de sua face. Um elogio fez brotar naquela garota algo nunca antes visto: o quão lindo era ver sua expressão alegre."


Os dedos mais rápidos da Central Selvagem.

4. DESCRIÇÕES DE PERSONAGENS


a) Espelhadas em Ações: Uma das mais interessantes descrições de personagem, as Espelhadas em Ações também podem entrar na categoria de Psicológicas, porque servem tanto para mostrar como seu personagem é por fora e por dentro.

Qual a vantagem?
Justamente por ser uma descrição com duas aplicações, ela pode suprir suas necessidades de forma rápida, matando dois slimes com uma cajadada só. 

Quer um exemplo?
Ciclano tinha cabelos vermelhos, abarrotados como sua camiseta vermelha e sua calça jeans.

b) Picotadas: Também muito interessantes, as descrições picotadas servem para mostrar informações de acordo com sua necessidade dentro da trama e conforme ela avança. A cor da camisa do personagem pode não ser interessante agora, mas depois... quem sabe?

Qual a vantagem?
Sem tempo para descrever toda aquela informação? Acha que não vai ser relevante? Existem coisas mais importantes para descrever? Então pode levar essa aqui.

Suas roupas podem revelar bastante coisa sobre você.

5. A MELHOR DE TODAS

Z) Singelas e objetivas: Como todas as descrições deveriam ser, elas são eficientes no que transmitem. Não enrolam muito, vão direto ao ponto. Mas também não são frescas a ponto de não fazerem uma divagação interessante ali ou acolá.

Então, o que achou dos tipos de descrição? Úteis, inúteis, singelas e objetivas? Tem algo a acrescentar? Comente aí, quero saber o que achou.

Então, boa vida e boa escrita!


E VOCÊ DISSE... DESCRIÇÕES RUINS?



3 comentários:

  1. Postagem 10/10. É de boa base não só na redição de LNs/VNs, como também na elaboração de qualquer texto narrativo, sendo particularmente muito esclarecedora pra quem gosta e tá principiando-se em RPGs via escrita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Malthus!
      É muito bom saber que estamos passando informações úteis para vocês.
      Boa tarde e boa escrita. \o

      Excluir
  2. muito bom o post, me abriu muito meus horizontes. (estou no anonimo pq minha conta não loga aqui)

    ResponderExcluir

Nosso Facebook!

Postagens Populares