Tecnologia do Blogger.

Receba nossas novels por e-mail!

Nosso Twitter!

Comentários Recentes

Parceiros



Seguidores

Total de visualizações

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Dicas Rápidas da Tany #6



Após um mês sem Dicas (Nada) Rápidas (de fazer), a Tany voltou com o popular quadro que faz ela pensar como seria muito mais fácil se os autores realmente aprendessem algo com as postagens!

Após ficar um tempo sem bons temas para esse quadro mensal, surgiu uma pilha de ideias, entre elas, o tema de hoje: hífen.

É. Aquele tracinho que você nem lembrava da existência até o novo acordo ortográfico chegar e obrigar você a decorar suas novas regras.

Nossas revisões são feitas seguindo o novo acordo, então nada mais justo do que explicar os novos usos do hífen, não é mesmo? 

Prepare suas anotações, clique no Leia Mais e vamos nessa!

Primeiro, o que é o hífen? Vamos perguntar pro dicionário:

O hífen é um sinal diacrítico de pontuação usado para separar sílabas, ligar os elementos de palavras compostas e para unir pronomes átonos a verbos.

Se eu tiver que explicar o primeiro e último uso citados, o mundo está perdido. Volte para o primeiro ano do fundamental e tente outra vez.

Saber usar o hífen é mesmo importante? Claro. Pão-duro e pão duro são coisas bem diferentes. Meio-dia e meio dia também. Um hífen muda todo o sentido.


O foque aqui é em substantivos compostos. Eu preciso explicar o que são substantivos compostos? Pergunte ao google. Aqui vão alguns dos usos envolvendo substantivos compostos:


  • Utiliza-se o hífen quando os elementos conservam seu som e acentuação, mas seu significado muda para criar um novo conceito.


Traduz pra mim, Tany.

Ok, vamos pegar exemplos. Exemplos sempre ajudam.

Arco-íris, guarda-chuva, anos-luz, etc.

Essas palavras, separadas, tem um significado próprio, mas com o hífen, elas ganham outro sentido. Entendeu? Espero que sim, pois não vou repetir.

Mas atenção! Os substantivos compostos por justaposição que tenham perdido a noção de composição não são mais grafados com hífen. Ou seja, sem hífen em palavras como: girassol, paraquedas, mandachuva, passatempo, etc.

  • Também utiliza-se o hífen quando o primeiro elemento for um numeral, veja os exemplos: segunda-feira, primeira-dama, primeiro-ministro, segundo-tenente, etc.
  • E para separar compostos homogêneos. O que raios é isso? São quando duas palavras tem o mesmo sentido ou são idênticas. Veja os exemplos: quebra-quebra, corre-corre, reco-reco, blá-blá-blá, etc.
  • Outro uso é para topônimos compostos. Certo, o que raios é esse palavrão? Basicamente, nomes próprios de lugares que começam com adjetivo grão/grã ou que começam com um verbo, ou ainda quando houver artigos entre os elementos. Novamente, seguem os exemplos: Grã-Bretanha, Quebra-Costas, Entre-os-Rios, etc.
Atenção, nomes próprios de lugares que não tiverem as características mencionadas acima não recebem hífen!

  • Emprega-se o hífen em palavras que distinguem espécies botânicas ou zoológicas. Exemplos: couve-flor, mico-leão-dourado, erva-doce, bem-me-quer, etc.

Bastante atenção na hora de usar esse hífen, pois bico-de-papagaio e bico de papagaio são coisas diferentes. O primeiro é uma planta e o segundo é um bico de papagaio. Um hífen pode mudar todo o sentido.

  • Emprega-se o hífen em palavras iniciadas pelo advérbio bem-, mal-, em que a segunda palavra seja iniciada por qualquer vogal ou a letra h. Exemplo: bem-humorado, mal-estar, bem-amado, mal-limpo, etc.

E quando a segunda palavra não for iniciado por vogal ou a letra h? Então as duas palavras são juntas, sem hífen.

Mas atenção! Algumas palavras que começam com o advérbio bem-, quando se mantém a noção de composição, não se junta ao segundo elemento, ou seja, o hífen continua. Exemplos: bem-criado, bem-visto, bem-vindo, etc.

  • Emprega-se o hífen em palavras iniciadas pelos elementos: além, aquém, recém e sem. Exemplos: além-mar, recém-casaco, sem-vergonha, etc


Você sabe o que é prefixo e sufixo, creio eu. Se não souber, vá estudar isso agora mesmo.

O hífen ainda deve ser utilizado em palavras formadas por prefixação, recomposição e sufixação.

Aqui vai uma lista dos principais prefixos da língua portuguesa: Aero, agro, anti, auto, circum, co, contra, des, entre, ex, hidro, hiper, in, inter, mini, pan, pós, pré, pró, pseudo, sub, semi, super, tele, ultra, vice.

Agora, quais as regras para se usar o hífen com esses e os demais prefixos existentes?

  • Utiliza-se o hífen se o segundo elemento começar com a letra h. Exemplos: anti-higiênico, semi-hospitalar, pré-histórico, super-herói, etc.

Atenção! Em alguns casos, após o prefixo des- e in-, o hífen não é mais usado se o segundo elemento da palavra perdeu a letra h.

  • O hífen será usado quando o prefixo da primeira palavra acabar com a mesma vogal que se inicia a segunda palavra. Exemplos: micro-ondas, auto-observação, semi-intensivo, etc.

E quando não for? A palavra é junta. Exatamente.

  • Se o prefixo da primeira palavra for circum- ou pan-, e a primeira letra do segundo for um vogal, h, m ou n, usa-se o hífen. Exemplos: circum-hospitalar, pan-americano, circum-navegação, pan-mágico, etc.
  • Emprega-se o hífen quando em todas as palavras com prefixo ex- (com sentido de estado anterior) e vice-. Exemplos: vice-presidente, ex-namorada, vice-comandante, ex-aluno, etc.
  • O hífen sempre será usado se o prefixo do primeiro elemento for pós-, pré-, pró-. Vamos aos exemplos: pós-graduação, pré-escola, pró-reitoria, etc.

Aviso! O hífen deixa de ser usado em casos em que o prefixo perde sua sonoridade

  • O hífen é utilizado nas palavras com sufixos de origem tupi-guarani, como -açu, -guaçu e -mirim. Exemplos: Capim-açu, sabiá-guaçu, cajá-mirim, etc.

Tany do céu, é muita coisa pra eu decorar, não tem um jeito mais fácil não?

Olha, caro autor ferona, eu mastiguei a teoria aqui pra você, mas se você quiser algo ainda mais mastigado, confira a tabela nesse site. Ela separa e explica todo o uso do hífen com os prefixos.


Algumas explicações estão repetidas, é mais para reunir todos os usos e para você poder voltar aqui em caso de dúvida apenas de quando não se usa o hífen.

  • Não há mais hífen em locuções. Ou seja, nada mais de hífen em dia a dia, fim de semana, dona de casa, cor de vinho, etc.

Mas nossa língua é feita de exceções, então é claro que expressões consagradas pelo uso ainda tem hífen, as expressões consagradas são: cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia, água-de-colônia, arco-da-velha, ao deus-dará, à queima-roupa.
  • O hífen não é usado em todas as palavras em que o prefixo terminar em vogal e o segundo elemento começar com r ou s. Nesses casos, deve-se duplicar essas consoantes. Exemplos: minissaia, extrarregular, contrarregra, etc.
  • O hífen deixou de ser usado em todos os casos em que o prefixo terminar com vogal e o segundo elemento começar com uma vogal diferente. Exemplo: autoescola, autoestrada, hidroelétrica.
  • Quando a segunda palavra de substantivos compostos cuja primeira palavra seja bem- ou mal- não começar com vogal ou a letra h. Exemplos: Benfeito, malfeito, malsucedido, etc.
  • Em alguns casos, após o prefixo des- e in-, o hífen não é mais usado se o segundo elemento da palavra perdeu a letra h. Como nos casos de desumano, inapto e desumidificar.
  • Em palavras com o prefixo co-, mesmo que a segunda palavra comece com a vogal o. Exemplos: Cooperação, coordenar, etc.
  • Em casos quando algum dos prefixos pós-, pré-, pró- perderam suas tonalidades. Exemplos: prever, promover, propor, etc.

E isso é tudo, nos vemos mês que vem com o próximo Dicas Rápidas!

Quando eu vejo um autor que aprendeu com o Dicas Rápidas!

Um comentário:

  1. O certo seria: Dicas rápidas para dotados de leitura dinâmica.
    '-' mas haja paciência pra escrever esse "RESUMO" hehe, Tany você está de Parabéns pelo conteúdo.
    Estou Virando um visitante assíduo do blog já u.u.

    ResponderExcluir

Nosso Facebook!

Postagens Populares