Tecnologia do Blogger.

Receba nossas novels por e-mail!

Nosso Twitter!

Comentários Recentes

Parceiros



Seguidores

Total de visualizações

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Arquétipos narrativos: herói, anti-herói e vilão


Yahoo! Eaí, pessoal, Sagami Riku de volta na área~

E depois de mais algum tempo ausente após a conclusão do meu primeiro projeto aqui no blog, Blood Curses: Day, retorno com mais um post da seção “Para escritores”, desta vez dando início a mais uma possível série de posts abordando um dos mais básicos elementos de uma narração: seus personagens. Ou melhor: o que faz um personagem, e o que ele representa.


Nesta matéria, vou divagar sobre e apresentar minhas ideias dos que são basicamente os papéis mais fundamentais de um personagem numa narrativa, quais todos já conhecem: herói, anti-herói e vilão. A pergunta a ser feita aqui é: o que exatamente define um herói, um anti-herói e um vilão?

Bem, a resposta para essa questão pode ser bem complicada e sujeita a muitas discussões, pois, dependendo da história e como ela é apresentada, pode se tornar bastante ambígua, sendo alcançada apenas através da interpretação e ponto de vista subjetivo do leitor/espectador; mas, em termos narrativos, é possível alcançá-la de uma maneira mais “objetiva”. Pelo menos é o que eu vou tentar fazer aqui por meio de padrões e exemplos bem conhecidos.

Herói


Vamos começar pelo arquétipo e papel mais conhecido de todos numa história: o herói, que hoje é quase sinônimo de protagonista, embora isso não seja bem verdade (vou esclarecer mais isso em um post futuro).

O herói mais “clássico” é aquele indivíduo, geralmente o protagonista da história, que busca alcançar objetivos nobres e de bem através de meios justos e moralmente aceitáveis. Possui qualidades admiráveis num ser humano, como coragem, fé, determinação, perseverança e honra.

Claro, eles também podem ter seus defeitos, é algo que os fazem mais humanos e relatáveis, mas sempre buscam ou causam algum tipo de bem maior.

Esse é o tipo mais antigo de herói e também o mais conhecido por todos, mas, com o tempo, o arquétipo de herói foi evoluindo e se desdobrando em diversos outros tipos, alguns também muito populares, como:

Herói trágico

Também conhecido como herói fracassado ou caído, é um tipo mais próximo do que poderíamos dizer ser um real "ser humano", pois, como tal, ele também comete erros e, em sua jornada, procura por algum tipo de redenção. Ou seja, é um tipo de herói que procura, através de atos nobres e justos, o “bem interior” que perdeu pelas falhas cometidas no passado.

Herói perdedor

Naruto, do mangá/anime de mesmo nome,
é um ótimo exemplo de herói perdedor,
pois a série foca bastante no seu
crescimento como personagem e herói.
Esse tipo segue o pretexto de que qualquer um pode se tornar um herói, até mesmo alguém completamente comum ou cheio de falhas. Diferentemente do herói trágico, que tenta consertar os erros que cometeu no passado através de atos heroicos, o perdedor tenta superar seus erros e aprender com eles. É alguém que pode tropeçar bastante pelo caminho até chegar ao seu objetivo e tem a perseverança e determinação como umas de suas maiores qualidades. Pode também ser um covarde que tenta superar seus medos ou algo do tipo. No final das contas, a lição que ele tenta passar é a mesma: qualquer coisa pode ser conquistada se existir esforço e vontade para alcançá-la.

Herói sombrio

Por, às vezes, compartilhar de muitas semelhanças, pode ser considerado uma "derivação" do herói trágico. O herói sombrio sofre com o problema de ter de lidar com as emoções e sentimentos negativos que guarda dentro de si, frutos de um passado problemático, ou vindos de uma natureza maligna interior. Mesmo assim, tentam seguir o caminho do bem e se livrar do, ou pelo menos controlar, seu lado negativo. Alguns podem ter sido vilões no passado que se arrependeram de seus atos.

Anti-herói


Agora chegamos ao arquétipo mais confuso e ambíguo de todos: o anti-herói. O anti-herói é aquele que pode ser considerado um herói, mas não se encaixa em todas as “definições” de um. Em contrapartida, ele também não é um vilão, pois não é completamente mal e, em muitos casos, pode até ser movido por causas benevolentes.

Mesmo assim, um anti-herói pode ter muitas motivações, comportamentos e objetivos diferentes. Mas ,de qualquer forma, suas causas, ações e/ou objetivos sempre vão de encontro com o código moral que define um “herói clássico”, sendo assim sua antítese.

Um anti-herói pode possuir objetivos nobres, mas usar de meios moralmente e eticamente questionáveis para alcançá-los; assim como pode possuir objetivos mesquinhos e egoístas, mas causar o bem por conta deles; alguns são mais “heróis”, e outros são mais “vilões”; alguns, egoístas, outros, altruístas. Resumindo, anti-heróis são eternos conflitos morais e éticos e existe uma grande variedade deles, por isso, aqui vou apresentar alguns poucos tipos, mas que representam bem boa parte deles:

Anti-herói justiceiro

São aqueles movidos por um senso forte, muitas vezes radical, de justiça. Por sua visão, às vezes distorcida, do que é “justo”, eles praticam atos que podem ser considerados imorais e antiéticos pela sociedade comum. Mesmo assim, geralmente essas mesmas ações levam a um bem maior. Para eles, “os fins justificam os meios”.

"Scar", do mangá/anime Fullmetal Alchemist
e Fullmetal Alchemist Brotherhood,
é um perfeito exemplo de Anti-herói vingador,
tendo parte do foco da história voltada
para seu crescimento como personagem.
Anti-herói vingador

Seguindo quase o mesmo pretexto do anti-herói justiceiro, esses são movidos pelo desejo de vingança e podem fazer de tudo para tê-la. Geralmente seus atos imorais e antiéticos são centrados apenas a certo(s) indivíduo(s) ou grupo(s) dos quais querem se vingar. Fora disso, podem demonstrar traços tipicamente heroicos, assim como outros podem querer somente vingança e simplesmente não ligar para todo o resto.


Anti-herói egoísta

São aqueles cujos objetivos são voltados para o benefício próprio. Podem até ser levados a causar o bem, mas, no final, eles só visam à recompensa causada por ele, pois seguem a premissa de “dar e receber”.

Kaiki Deishu, da série de light novels/anime Monogatari,
é um exemplo de anti-herói egoísta, também sendo, em parte, um vilão incompreendido.
Todas as suas ações, pelo menos na superfície, são movidas por um benefício em comum: dinheiro.

Anti-herói neutro

São os mais imprevisíveis, pois esses não possuem nenhum tipo de motivação ou objetivo. Podem ser incapazes de compreender conceitos abstratos, mas fundamentais, como bem e mal, moral e imoral, justo e injusto, etc., podendo agir com calma e neutralidade mesmo nas situações mais extremas.


Vilão


Então, finalmente chegamos ao arquétipo de força contrária ao herói: o vilão, que, embora nem sempre, geralmente se opõe ao herói e é o antagonista da história. O vilão mais clássico tem objetivos considerados maus e egoístas e usa de meios injustos, imorais e antiéticos para alcançá-los, não medindo esforços e causando prejuízos, grandes ou pequenos, por meio de suas ações malignas. Contudo, assim como o herói, o papel de vilão também sofreu suas alterações com o passar do tempo, tais como:

Vilão trágico

É aquele cujas motivações não foram fundamentadas por puro mal, mas por coisas mais profundas e complexas, como traumas do passado. Esses são mais humanos e podem ter suas ações compreendidas e até mesmo justificadas. Alguns podem ter sido heróis no passado, mas acabaram sucumbindo ao mal por conta de alguma tragédia.

Vilão incompreendido

Esse tipo pode não ser considerado exatamente um vilão, mas é retratado como um pela história. Inicialmente são apresentados como maus, egoístas e mesquinhos, mas, com o desenrolar da trama, um “outro lado” deles é revelado, um mecanismo geralmente usado para dar uma reviravolta no enredo. São aqueles vilões cujos atos são mal interpretados pelos personagens como atos de maldade, mas que, na verdade, escondem uma causa e motivação de natureza não maldosa e, às vezes, até mesmo benevolente, podendo ser verdadeiros heróis não reconhecidos. Eles se subdividem em dois tipos: aqueles que escondem sua verdadeira natureza propositalmente e aqueles que simplesmente são mal compreendidos.

Apesar de ser considerada por muitos uma heroína, ou anti-heroína, Homura Akemi,
do anime Puella Magi Madoka Magica, é um bom exemplo de"vilã" incompreendida/trágica.
Muitas escolhas difíceis que ela faz durante a série são mal interpretadas pelas outras personagens, 
passando-lhe uma imagem de vilã.

Vilão falso herói

Ao contrário do vilão incompreendido, que esconde sua verdadeira natureza por trás de uma fachada de vilão, o falso herói esconde suas intenções malignas e egoístas por trás da fachada de um herói. Provavelmente é o tipo de pior índole listado aqui, pois engana aqueles ao seu redor enquanto também os prejudica.

Vilão neutro/caótico

Seguindo quase a mesma premissa que a dos anti-heróis neutros, o vilão neutro/caótico, diferentemente dos anti-heróis neutros, é capaz de entender conceitos como bem e mal, moral e imoral, justo e injusto, mas não dá a mínima para eles, assim como a maioria dos vilões. Contudo, contrário a essa maioria, esse tipo não tem motivos ou objetivos claros, muitas vezes agindo por impulso e satisfação própria, não ligando para nada além de si mesmo.

Vilão perdedor

Seguindo a mesma fórmula que o herói perdedor, o vilão perdedor é aquele que muitas vezes não consegue alcançar ou completar com sucesso seus atos maléficos e que pode até mesmo causar o bem indiretamente através de suas trapalhadas. Mesmo assim, ainda não é considerado um herói, pois seus objetivos estão longe de serem nobres ou altruístas. Geralmente esse tipo é usado para efeito cômico.

* * *

E é isso, pessoal, espero ter conseguido esclarecer um pouco mais as definições, semelhanças e diferenças desses arquétipos. Lembrando que parte desta matéria parte da minha própria visão subjetiva do assunto, ou seja, você não deve levar tudo escrito aqui como um fato, o importante é se você concorda com o que foi escrito ou é capaz de construir uma visão diferente do assunto.

Sendo assim, também não apresentei todos os tipos diferentes de heróis, anti-heróis e vilões, apenas aqueles mais básicos e que todo mundo conhece. Com isso em mente, este post também serve como base para criar seus próprios personagens, seja seguindo os arquétipos aqui apresentados, ou até mesmo fugindo deles. Enfim, use a sua imaginação.

E fiquem no aguardo para mais posts abordando assuntos como este, pois eles estão por vir!

Abraços e até a próxima.

3 comentários:

  1. esse post foi muito foi muito bom,e me ensinou muita coisa obrgd

    ResponderExcluir

  2. Remarkable things here. I'm very glad to look your article. Thank you a lot and I am looking ahead to contact you. Will you please drop me a mail? craigslist tulsa

    ResponderExcluir
  3. Heya i'm for the first time here. I found this board and I find It truly useful & it helped me out much. I hope to give something back and aid others like you helped me. all of craigslist

    ResponderExcluir

Nosso Facebook!

Postagens Populares