Tecnologia do Blogger.

Nosso Twitter!

Comentários Recentes

Parceiros



Seguidores

Total de visualizações

quinta-feira, 18 de novembro de 2021

Caçadores de Reprovações - Novembro

 É hora do quadro que ajuda todos vocês a aprender um pouco mais a partir do erros dos outros! Isso mesmo é hora do Caçadores de Reprovações!

Nada melhor do que evitar erros que outros já cometeram e melhorar as suas próprias chances de reprovação, não é mesmo?

Se você não conferiu a edição deste quadro do mês anterior, clique aqui. Se já conferiu, o que está esperando para clicar no Leia Mais e dissecarmos outra reprovação?

Vamos analisar o trecho e depois separar os erros em três categorias.


Ortografia e pontuação

Que nota vocês dariam para nosso colega?

Muito bom, bom, mediano-bom, mediano-ruim, ruim, muito ruim, queime-nas-chamas-do-inferno-nunca-mais-quero-ver-isso-na-vida?

A nota em si é apenas um indicativo. Mas a soma de vários erros que poderiam ser evitados é o que acarreta a reprovação

Aonde e onde são facilmente confundíveis. Onde é utilizado para indicar locais e aonde é usado para indicar movimento. "Se meteu" indica um local ou movimento? Dúvidas quanto a resposta? Deixe nos comentários que explicarei dentre o possível.

Erros de vírgula e pontuação são coisas que todos cometem, nem a equipe de revisão é perfeita. Porém, erros de dicendi devem ser evitados ao máximo. Quer evitá-los? Confira a nossa postagem sobre o uso de travessões.

Existe uma diferença entre retorcer e se retorcer, sabiam? A existência da preposição que dá o sentido de você pegar algo e retorcer, como um pano, ou se retorcer de dor por algum motivo.

Você está escrevendo ou traduzindo?

Nosso autor estava indo bem até chegarmos ao quarto parágrafo, em que ele parecia perder de vista como algumas coisas soam em português. Especialmente, vamos falar de "lábios afiados", ele ia cortar algo com esses lábios? Sharp tongue tem um sentido e língua afiada tem outro. Não consumir conteúdo da própria língua pode criar coisas assim, por isso sempre recomendamos que tente ler autores brasileiros e evite ficar só em traduções ainda mais as ruins.

Não sendo o bastante, nosso autor ferona manda um "do fundo de sua banha", seria a tentativa de uma metáfora? Um jeito de chamar o Lorde de gordo indiretamente? Em ambos casos, ficou estranho e pouco natural para a prosa. 

Por fim, "com pequenas convulsões"... podemos até compreender o que ele queria dizer aqui, mas, se pensar da perspectiva da nossa língua, isso não faz realmente sentido. Tome cuidado com o real uso das palavras. Ás vezes é preciso pesquisar um pouco, com imagens, em vez de confiar na tradução automática que nossa mente ao ler em inglês ou outros idiomas.

Por fim, a cena em si.

Para finalizar esse caçadores, vamos falar sobre a cena. Antes de tudo, quero que parem e pensem comigo: qual o sentido dessa cena?

O que ela apresenta? O mundo, um pouco do protagonista e a impressão que alguns personagens tem dele. Seria uma boa cena inicial? Quase. Falta algo crucial nela: uma conexão com a trama.

Antes de você ficar "mas como assim, conexão?", deixe-me explicar com calma. Você deve evitar, ao máximo, cenas sem tanto significado ou sentido, ou que só sirvam para apresentar algo sem conectar com a trama principal da sua história, especialmente no começo da narrativa. E foi justo nisso que nosso autor ferona mais falhou nesse trecho.

A cena começa com a narração e termina com o corte indicando que o protagonista realmente não voltou para casa. Mas o que tem nesse meio? Nada de realmente interessante. Nada que instigue a curiosidade de por que ele deveria voltar. Por que isso é tão incômodo para seu pai. Qual a relação deles. Ou o papel do protagonista.

Em vez de colocar a narração explicando os detalhes, o autor poderia ter colocado mais informações nos diálogos. Tão como deveria ter utilizado os diálogos mais. Algum indicativo da trama já teria salvado a cena, "o Protagonista precisa voltar logo por que haverá uma cerimônia importante" ou "ele está perdendo aulas demais, se isso continuar, irei deserdá-lo". Pode parecer expositivo ou simples, mas são coisas que dão ao leitor uma noção de consequência e, mais ainda, uma ideia de que algo vai acontecer. Algo para o leitor pensar "ah, então é por isso" e ajudar ele a se interessar em descobrir como o Protagonista iria se safar dessa situação ou o que o acarretaria ficar fora.

Evite fazer cenas inúteis. Evite fazer cenas que só apresentam e não conectam com mais nada em sua trama.

E por hoje ficamos por aqui. Dúvidas, sugestões, questionamentos, os comentários estão sempre abertos! Se esforcem para nunca aparecerem neste quadro e vemos vocês na próxima!

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei muito da postagem de hoje, me ajudou a repensar algumas coisas.

      Sobre a questão do verbo. Imagino que "Se meteu" indica ao mesmo tempo um lugar e um movimento, já que meteu é um verbo intransitivo. Acho que "onde" vai, em vez de "aonde", porque "se" é um pronome que indica anteriormente quem, na composição da frase, vai para onde. Talvez se a frase fosse formulada tipo "Aonde ele foi" estaria certo o uso de "aonde". Tô certo?

      Eu não fiz letras e lembro muito pouco [edit] sobre gramática, não sei muito bem o que tô dizendo. Mas me parece certo na cabeça.

      Excluir
    2. Exato, Numemichi. "Aonde ele foi" seria correto.
      Aonde remete a um movimento do sujeito, tem o sentido de "para onde". Aonde ele correu, aonde ele foi, etc.
      "Se meteu" no entanto, pende um pouco mais para a ideia de que lugar ele está ou se enfiou, por isso o ideal é o uso de "onde".
      Fico feliz que a postagem ajudou :D

      Excluir

Nosso Facebook!

Postagens Populares