Tecnologia do Blogger.

Nosso Twitter!

Comentários Recentes

Parceiros



Seguidores

Total de visualizações

terça-feira, 12 de janeiro de 2021

Criando a cena perfeita

      Enquanto algumas cenas são contemplativas, outras são possuem um papel central no desenvolvimento dos personagens. Umas são estáticas, enquanto outras são rápidas. Se você parar pra pensar, livros nada mais são do que um conjunto de cenas interconectadas de modo coerente e coeso. Nem toda cena precisa ter um propósito específico e delimitado, mas é importante que o autor tenha em mente qual o papel dessa cena na história total e nas consequências de ela existir. 

Para entender os elementos que compõem boas cenas, basta ler mais!



Os componentes-chave

Primeiro, pense na ideia geral da cena. Ela servirá a qual propósito? Desenvolver o personagem, mostrar seu mundo, desenvolver a relação do grupo, revelar um lado diferente da personalidade do vilão? Nem tudo precisa ter um motivo, mas se você souber pelo menos para onde quer ir, as coisas ficam bem mais fáceis. Uma vez que tenha pensado no propósito da cena, podemos pensar nos elementos que farão parte dela. 


O clímax

    Esse é o momento-chave, o momento no qual a sua cena poderia ser resumida. Pode ser uma revelação, uma pista, uma informação nova sobre o mundo ou sobre os personagens. O clímax também pode ter um impacto grande ou impacto pequeno: mas esses momentos são menos sobre o impacto e mais sobre o significado deles. Um momento de grande conflito político pode ter pouco significado para seu personagem principal, enquanto a morte de seu amigo na batalha renderá uma cena com impacto reduzido (em comparação à guerra), mas com grande significado. Além disso, o clímax pode abranger a emergência de novos desafios — “mais uma morte aconteceu, droga!” —; um plot-twist — “espera, ela era uma traidora?” — ou até mesmo um momento de contradição — “eu achava que era fraco, mas agora percebi que não sou tanto assim”.




O Ponto de Vista

    Quando pensar em sua cena, pense em qual ponto de vista você utilizará. O leitor acompanhará seu protagonista? O amigo do protagonista? Um integrante do grupo que ainda não teve tanta importância? Uma vez que tenha pensado nisso, trate de aproveitar o tempo para mostrar como o personagem enxerga o mundo, como se sente em relação às coisas ou sua maneira de pensar o universo e tudo o mais. Portanto, evite começar uma cena, terminá-la três parágrafos depois e mudar o ponto de vista subitamente.


O cenário

    Muita gente, mais frequentemente do que o normal, esquece que o cenário existe. Aproveite o momento da cena para passar informações importantes sobre seu mundo. Entretanto, cuidado para não causar um excesso de informação ou exposição: mostre o essencial para construir a atmosfera necessária para a cena.


Os conflitos

    Conflitos são o ponto central de toda história. Um arco de personagem requer conflito interno, forçando-o a mudar e a aprender no decorrer da história. Já o conflito externo é papel dos antagonistas e vilões da história, que interferem e auxiliam o protagonista a alcançar seu objetivo. Com tantos conflitos acontecendo, cenas importantes (e mesmo algumas menos relevantes) devem falar sobre o conflito da narrativa — seja ele grande ou pequeno.


E por hoje é só! Aproveite as dicas e repense a estrutura de algumas cenas que, talvez, não tenham ficado tão legais. Além disso, nós temos várias postagens sobre estruturação de narrativa que servem de incremento para essa aqui. Nos vemos na próxima.


Até mais!


0 comentários:

Postar um comentário

Nosso Facebook!

Postagens Populares

Receba nossas novels por e-mail!