Tecnologia do Blogger.

Nosso Twitter!

Comentários Recentes

Parceiros



Seguidores

Total de visualizações

terça-feira, 11 de agosto de 2020

Pare de pesquisar e comece a escrever

    
    Em algum momento da escrita de sua novel, você provavelmente já pesquisou ou vai pesquisar alguma coisa. Em histórias medievais, os autores costumam se esbaldar nos aspectos políticos e religiosos da Idade Média. Em universos steampunk, podem passar dias fazendo rascunhos de uma máquina fantástica completamente funcional. E mesmo quando o foco é o nosso mundo, existem lugares e culturas que não conhecemos. Mas será que toda essa pesquisa não está te impedindo de escrever?

    Na postagem de hoje, vamos dar uma olhada em como a pesquisa pode se tornar uma faca de dois (le)gumes e pensar em meios para evitar que isso aconteça. Se ficou curioso, só Leia Mais!


99!


A importância da pesquisa


    Seja dando ideias para seu mundo fantástico ou te ajudando a deixar sua narrativa não-ficcional mais verossímil, a pesquisa provavelmente vai aparecer em algum momento da escrita da sua novel. Afinal de contas, ver o que outras pessoas já fizeram pode te ajudar a construir um mundo mais coeso e, assim, diminuir a chance de quebrar a imersão do leitor — especialmente importante em histórias que usam algum elemento histórico. A não ser que essa seja a proposta da história, um aldeão que de repente puxa um celular do bolso não parece muito coerente com a Idade Média. 

    A ideia por trás de pesquisar é ser específico. Falar que vai pesquisar sobre a cultura dos Estados Unidos é muito vago: pense no quê exatamente sua história precisa. Com isso em mente, você poderá pesquisar de dois jeitos principais: 


Preenchendo lacunas
: pense nas informações que precisa saber, mas ainda não sabe, e pesquise somente sobre isso. Por exemplo, se seus personagens precisam aprender a como encontrar pistas em um quarto escuro (e você não tem ideia de como fazer isso), anote essa informação. Não tem por que você pesquisar sobre o cara que inventou isso, sobre a composição química dos materiais envolvidos ou qualquer outra coisa além de “como encontrar pistas em um quarto escuro”. Uma vez que tenha encontrado o que precisa, volte a escrever e faça essa informação se tornar interessante dentro da história.

Desenvolvendo uma ideia: vamos supor que você decidiu escrever uma novel sobre policiais e detetives em um distrito dos Estados Unidos. Para desenvolver essa ideia, você primeiro precisa ver como outras pessoas já fizeram isso antes. Além disso, precisa pesquisar (ou saber previamente) sobre essas profissões dentro dos Estados Unidos e, caso não conheça, também pesquisar o geral sobre tal cultura. Isso significa que você precisa saber de todo o conjunto de leis que um juiz pode usar para julgar um criminoso que seu personagem prendeu? Não — porque você quer desenvolver a ideia de policiais e detetives americanos em uma novel, não escrever o Vade Mecum EUA Version 2.0.

Como pesquisar


Seja para preencher lacunas ou ganhar repertório para desenvolver sua ideia, é muito mais saudável consultar diversas fontes! Então, lá vão algumas dicas:

  • Leia e assista coisas que estejam (mas não somente) ligadas à sua ideia: ler coisas do gênero da sua história te ajuda a entender as expectativas do leitor, enquanto obras não-relacionadas podem te dar ótimas ideias originais. Não é porque você está escrevendo comédia com detetives que você não pode ler/assistir O Silêncio dos Inocentes. 

  • Viaje (quando possível, o que não é o caso durante uma pandemia): andar pelas ruas de uma cidade, apreciar exposições em museus e conhecer locais históricos pode te ajudar a deixar seu mundo ainda mais vivo e completo. Caso isso não seja possível, documentários e vlogs também são ótimas fontes de informação.

  • Visite um mecanismo de busca e vá fundo: jogue no Google uma ideia que você teve (como “distritos dos Estados Unidos”) e vá vendo imagens e alguns textos sobre isso. Quem sabe você não cai numa imagem de Todo Mundo Odeia o Chris, se lembra que ele morava no Brooklyn, percebe que Brooklyn tem um centro de polícia e passa a desenvolver sua história por aí?

Organize o que você encontrou


Pesquisar fica muito mais fácil quando você tem em mãos o que já pesquisou. Você pode abrir o bloco de notas e escrever algumas coisas ou criar vários documentos separados (Mundo, Personagens, Eventos) para cada coisa que precisou pesquisar. Escolha o que fica melhor pra você. Programas como o Evernote e Scrivener também são boas pedidas.

Parando de pesquisar


    Eu sei que ficar lendo sobre histórias de criminosos famosos pode ser legal, mas a pesquisa pode facilmente se tornar uma forma de procrastinação. Ou seja, você vai passar a pesquisar para evitar todo o processo de escrever — mas não era para isso que você estava pesquisando? Pois é.

    Aliás, pesquisar muito também costuma te dar informações demais. E quanto mais informações um escritor iniciante tem, mais informações ele vai querer colocar na história... Mesmo que elas não sejam necessárias ou façam algum sentido.

    Portanto, assim que tiver informações suficientes sobre o tema específico que te motivou a pesquisar, pare um pouco e escreva sobre ele. Caso tenha problemas em parar, coloque um tempo limite para parar de pesquisar: 1 hora, 5 horas, 1 dia?

    Lembre-se que nós não queremos informações de uma enciclopédia, mas uma história divertida e interessante pensada por você. Uma história não se faz só de pesquisa: é preciso que haja muita imaginação envolvida. Então, por que você não tenta fantasiar um pouco a realidade e ver no que dá?


Se você quer expor suas ideias pro mundo ou só tirar uma dúvida sobre pesquisa, use o campo dos comentários! Faremos o possível para te responder — especialmente se falar com jeitinho e educação. Por hoje é só. Até mais!


5 comentários:

  1. Isso me ajudou muito a deixa minha pesquisa mais precisa.
    Adoro ler os post que vocês fazem, deve dar muito trabalho.
    Talvez eu não tenha encontrado, mas adoraria ler um post que explica como aplicar um "flash Back" na história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Fico muito feliz que a postagem tenha te ajudado.
      Sobre os flashbacks, já anotamos aqui como sugestão de postagem!
      Abraços.

      Excluir
  2. Eu tô com um problema desse naipe, mas o problema da minha história é que quero relacionar uma parte da construção de mundo (os poderes) com a mensagem da obra, ao acabo fazendo um pouquinho dos poderes hoje, aí continuo semana que vem.
    Acho que eu vou logo escrever o básico do enredo pra aí relacionar a construção de mundo a ele, agora que penso nisso, o contrário parece uma forma meio burra de se fazer as coisas kkk.
    Enfim, ótimo texto!
    Na postagem anterior, a que avisa sobre a volta de Knights Selection não dá pra comentar, não sei se é um erro ou intencional, mas só por precaução tô avisando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Clay! Esse é um desafio bastante comum para quem está querendo criar metáforas (no seu caso, usando os poderes) dentro da obra. Mas você já entendeu o caminho: para que tudo fique coeso, detalhes importantes que criam a base para sua história - como o próprio enredo - devem ser planejados antes. Isso ajuda o autor a não se perder dentro do próprio mundo.
      E sobre os comentários na postagem de KS, as coisas parecem estar normais por aqui. Talvez tenha sido alguma instabilidade momentânea.
      Obrigado pelo comentário (e boa sorte com sua história)!

      Excluir
  3. Tava tendo esse problema. Passava tanto tempo pesquisando e pensando em novas ideias que nem tava mais escrevendo. Mas assim que parei percebi que tava perdendo meu tempo e que a coisa certa a fazer era focar em escrever.

    ResponderExcluir

Nosso Facebook!

Postagens Populares

Receba nossas novels por e-mail!