Tecnologia do Blogger.

Receba nossas novels por e-mail!

Nosso Twitter!

Comentários Recentes

Parceiros



Seguidores

Total de visualizações

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

George Orwell: Por que você escreve?


Foi oficial da polícia na Birmânia, mas abandonou o cargo em sinal de protesto contra a política colonial de seu país. Vivendo na pobreza, chegando a ser mendigo, vagou por Londres e Paris até meados de 1930. Lutou na Guerra Civil Espanhola ao lado dos republicanos. De 1941 a 1943, trabalhou na seção cultural da BBC. Foi um dos maiores críticos dos governos autoritários do século XX com seus livros 1984 e Revolução dos Bichos que você deveria ter lido na escola. Eric Arthur Blair, aka George Orwell, tem algumas palavrinhas pra você, escritor-ferona-kun. Algumas delas vão demorar para descer goela abaixo, tenha certeza. Então, senta aí e abre o Word: tá na hora de ouvir a palavra Orwelliana — e sofrer um pouquinho com ela.

Tá na hora de você sofrer um pouquinho.
E, sim, este é um post pra puxar sua orelha.



"Pondo de lado a necessidade da subsistência, creio que há quatro grandes motivos para escrever, ao menos para escrever prosa. Eles existem em diferentes graus em cada escritor, e num dado escritor as proporções variarão de quando em quando, conforme a atmosfera em que ele vive.” São eles:

1. Puro egoísmo: admita, ferona, você só quer se aparecer com esses seus textos. Nós, escritores, queremos ser reconhecidos, ter fama, dinheiro e mulheres, nos tornar os próximos Machado de Assis, Katou Kazue ou Raphael Draccon. Você quer mostrar para aquele carinha que fazia bullying contigo que você pode fazer alguma coisa da vida. Você quer falar pra sua família que é escritor e ouvir um “ohhh!”.
Dizem que depois dos 30 as pessoas abandonam a noção individual e passam a se concentrar no coletivo, vivendo para os outros.
“Mas também existe a minoria de pessoas talentosas e obstinadas decididas a viver a vida até o fim, e os escritores pertencem a essa classe. Devo dizer que escritores sérios são, de modo geral, mais vaidosos e egocêntricos do que jornalistas, embora menos interessados em dinheiro.” 
Entretanto, isso não quer dizer que você possa se achar melhor que os outros escritores, que pode sair por aí achando que vai ser o Machadão. Não quer dizer que você pode exigir do seu revisor algo que você não pode fazer, por pura preguiça ou falta de competência. Reveja seus conceitos e aprimore-se como pessoa e escritor, estamos aqui para te ajudar.

2. Entusiasmo estético: “Tá bom, Vong, eu já entendi a indireta tão indireta quanto um soco de lutador de boxe. Mas o que é esse tal de entusiasmo estético? Isso não faz sentido, sabia?”
Claro que faz, ferona, préstenção.

Nós, escritores em formação, gostamos de compartilhar nossas visões de mundo com outras pessoas através de nossos personagens, dos nossos plots mirabolantes, das nossas histórias loucas. A gente precisa ser ouvido. Por isso, temos plots preferidos e coisas que utilizamos em todos eles, como personagens mais nerds ou descolados. Ou caso preferia o aspecto narrativo, descrições rápidas e objetivas ou detalhadas e metafóricas. Ou, se preferir a estética propriamente dita, um design de páginas único ou margens estilizadas – coisa de gente tarada por simetria.
Nós temos esse entusiasmo com o “jeito de ser” do texto, por isso temos entusiasmo estético.
Ficou claro como a luz da lua?

Adoremos o Grande Irmão!

3. Impulso histórico:  Isso se refere ao a desejo de ver sua obra eternizada em páginas de papel ou de internet que move você pra frente. Você quer comentários, você quer público. Quer que leiam você. Entretanto, você não quer ler os outros.
Você quer que as pessoas te deem IBOPE, mas não quer ser confrontado e criticado.
Contenha-se. Deixe sua marca, mas não à custa dos outros. Seja original e confie em si mesmo. Os leitores virão aos poucos, okay?
Aliás, para de fazer seu revisor de trouxa também. Ele não tem que ficar aturando escritor que só quer fama e pouco se importa com a forma – que filosofia, gente.

4. Propósito político:Não, você não tem que falar de política nos seus textos.
Isso é porque queremos guiar “o mundo em determinada direção, mudar as ideias das pessoas sobre o tipo de sociedade que deveriam se esforçar para alcançar. Também neste caso ninguém está verdadeiramente isento de tendências políticas. A opinião de que arte não deveria ter a ver com política é em si mesma uma atitude política.”
Quer mais ou tá bom para o senhor?

Gostou de levar uns puxões de orelha? Achou legal a história do Orwell? Discorda de algum tópico? Você é o autor chato que os revisores odeiam?
Comenta aí e aproveita para responder a essa pergunta:

Por que você escreve?

Assim sendo, nos vemos na próxima.
Até mais!

5 comentários:

  1. Não é que não seja "Digno", lucrar com o seu trabalho até porque, você se dedica horas pra pensar em uma história, enredo, personagens etc...
    coisas que as vezes demoram dias, um escritor não lucras mais que 10 a 20%(o que já é meio difícil) do preço de capa de cada impresso e ainda tem que rezar pro livro vender +/-, a sorte de alguns é que podem optar por vender o livro em mídia digital(o que não ajuda muito mas pelo menos o lucro pode ser um pouco maior), então se alguém decide entrar nesse ramo tem que ser não apenas por dinheiro e fama mas também por amor pelo que faz ^^.
    Eu escolhi escrever porque.... na verdade eu não escolhi escrever acho
    que não tem uma explicação óbvia do "por que" eu escolhi escrever, mas eu sei que quando estou escrevendo me sinto emergindo no mundo ao qual descrevo nas palavras, isso é um fato, e eu sempre fui de ser do tipo de pessoa que vive no mundo da lua sempre imaginando coisas e não me importo muito com lucros.
    Agora vejamos, é óbvio que queremos mostrar nossas obras pro mundo pois queremos que todos sintam o prazer que tivemos ao escreve-las e se realmente fizer sucesso, por que não começar a investir seriamente naquilo que mais gostamos de fazer não é verdade.
    O que não podemos esquecer é que sempre temos que ler pra aprender cada vez mais, e assim ter novas ideias e nossas próprias opiniões, eu sempre que posso estou lendo algum livro ou alguma outra coisa que se encaixe nesse contesto, um exemplo disso é que recentemente eu li um livro chamado a livraria 24 horas do MR. penumbra de Robin Sloan, que na minha opinião é muito bom e eu recomendo darem uma lida ^^(se não leram ainda).
    Bom acho que isso é tudo, espero não ter me expressado mau, é por que as vezes eu atropelo os meus pensamentos e isso acaba afetando o modo que escrevo, mas eu gosto do trabalho de vocês, não é a toa que estou tentando escrever uma LN(coisa que pra mim ta meio compliques de me adaptar ainda hehe), bom me desculpem esse texto enoooormeeeeeee e estou gostando muito da qualidade de vocês nas LN.

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Droga, descobriram a identidade secreta do Vong!
      Corra, Vong, corra!

      Excluir
  3. gostei muito do trabalho da competência de vcs, e que continuem com ideias magníficas que vcs tem adorei e ficou muito expressado os capítulos

    ResponderExcluir

Nosso Facebook!

Postagens Populares